Tachado de rude, dirigente nuclear dos EUA renuncia

O presidente da Comissão Reguladora Nuclear dos Estados Unidos, Gregory Jaczko, anunciou sua renúncia nesta segunda-feira, após um ano de críticas ao seu estilo rude de gestão.

ROBERTA RAM, REUTERS

21 Maio 2012 | 18h57

Jaczko, de 41 anos, não citou motivos para deixar o cargo a mais de um ano do fim do seu mandato. Mas vários relatórios e audiências parlamentares nos últimos anos retrataram-no como um superior agressivo, que levava várias funcionárias de alto escalão às lágrimas.

As acusações, que ele sempre rejeitou, ofuscaram as custosas novas regras que ele defendia desde o acidente nuclear de 2011 em Fukushima, no Japão, o que lhe rendeu a antipatia do setor nuclear.

"Acho que (as acusações) desgastam você", disse um ex-assessor parlamentar que conhece Jaczko. "Para mim, tudo se reduz a dinheiro e a um setor que deseja escolher a dedo seus reguladores, colocando-os no cargo, e depois empregando-os quando tiverem terminado", disse o ex-assessor.

(Reportagem adicional de Jeff Mason e Timothy Gardner, em Washington; e de Scott DiSavino, em Nova York)

Mais conteúdo sobre:
EUA NUCLEAR0 JACZKO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.