Rainer Jensen /EFE
Rainer Jensen /EFE

Tempestade de inverno prejudica recuperação pós-Sandy nos EUA

Transportes são afetados em Nova York, onde algumas casas ainda estão sem energia elétrica

Reuters

08 de novembro de 2012 | 08h45

NOVA YORK - Uma tempestade fora de época no início do inverno provocou neve, chuva e ventanias perigosas na região Nordeste dos Estadps Unidos, deixando novamente os moradores da região mais populosa do país na escuridão enquanto ainda se recuperam dos estragos causados pela passagem da supertempestade Sandy.

A tempestade congelou rodovias e abalou o sistema de transporte, antecipando uma manhã difícil para os trabalhadores nesta quinta-feira, 8, e aumentando as dificuldades para os moradores cujas vidas foram perturbadas pela enorme tempestade que atingiu a Costa Leste no dia 29 de outubro com inundações históricas.

O número de mortos pelo Sandy nos EUA e Canadá atingiu 121. Autoridades de Nova York informaram na quarta-feira outra morte relacionado com a tempestade na abalada região costeira de Rockaway, que voltou a sofrer com o aumento do nível do mar.

Mais de 60 mil casas e negócios em uma faixa que se alonga desde as Carolinas até Nova York ficaram sem energia, junto com mais de 640 mil clientes que continuam no escuro desde a passagem de Sandy.

Temperaturas congelantes são uma nova preocupação para os moradores que ficaram sem energia elétrica. Nova York distribuiu aquecedores e cobertores para os moradores sem aquecimento e energia e abriram abrigos para aqueles que precisavam de um lugar aquecido para dormir.

As fornecedoras de eletricidade alertaram que a neve e a ventania que ameaça derrubar árvores e linhas de transmissão prejudicaram os esforços para restaurar a energia.

"Na verdade está nos fazendo retroceder, e as pessoas que recuperaram a eletricidade estão perdendo de novo", disse o governador de Nova Jersey, Chris Christie.

O presidente dos EUA, Barack Obama, falou com os governadores de Nova York e Nova Jersey por telefone, na quarta-feira, e as discussões concentraram-se na falta de combustíveis nas regiões atingidas pela tempestade e o que fazer com as milhares de casas destruídas, de acordo com uma autoridade da Casa Branca.

O sistema climático de baixa pressão vindo do sul trouxe rajadas de vento de até 97 km/h e fez nevar, o que deve causar acúmulo de 8 a 13 centímetros de neve na cidade de Nova York e mais que o dobro dessa quantidade nos subúrbios do norte, informou o Serviço Climático Nacional.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFuracão SandySandy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.