Tempestade Debby encharca a Flórida

A tempestade tropical Debby perdeu força na terça-feira ao cruzar a Flórida de oeste para leste, mas continua provocando chuvas fortes em áreas inundadas, obrigando milhares de pessoas a fugirem.

REUTERS

26 de junho de 2012 | 17h34

Após parar sobre o golfo do México, a tempestade finalmente passou a andar, mas deve levar mais dois dias para atravessar o Estado.

Autoridades do condado Pasco, na costa oeste do Estado, determinaram a retirada obrigatória de 14 a 20 mil pessoas que vivem entre os rios Anclote e Pithlachascotee. O Anclote já subiu mais de 5,5 metros, e em algumas áreas inundadas as equipes de resgate precisaram usar botes para chegar a moradores ilhados. Pelo menos 106 casas foram danificadas no condado.

A tempestade faz com que a água se acumule na costa e flua para o interior, impedindo o escoamento das chuvas para o mar.

No contado Wakulla, famosa por suas fontes naturais, choveu cerca de 500 milímetros em dois dias. Há estradas inundadas em vários pontos do noroeste do Estado.

Parte da rodovia Interstate 10 ficou interditada entre a capital estadual, Tallahassee, e a cidade de Jacksonville, na costa leste.

A tempestade deixou cerca de 29 mil pessoas sem luz no centro e norte do Estado, segundo autoridades.

O Centro Nacional de Furacões (CNF) dos EUA prevê que a tempestade Debby ainda possa causar 100 a 200 milímetros de chuva e possivelmente tornados no norte da Flórida e sudeste da Geórgia nos próximos dois dias.

Os ventos máximos da Debby diminuíram para 65 quilômetros por hora, limite mínimo para que continue sendo considerada uma tempestade tropical. A passagem sobre o território da Flórida faz com que o sistema perca força, mas ele pode se recuperar ao chegar ao Atlântico.

(Por Michael Peltier)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACLIMATEMPESTADEDEBBY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.