Tempestade Edouard atinge Texas e Louisiana nesta terça

Estados sentem reflexos do fenômeno com fortes chuvas e rajadas de ventos na região do Golfo do México

Associated Press e Reuters,

05 de agosto de 2008 | 08h46

A cidade texana de Galveston foi atingida na madrugada desta terça-feira, 5, por fortes rajadas de vento e grandes ondas enquanto a tempestade tropical Edouard se aproximada da costa do Golfo do México. Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês), o litoral do Estado da Louisiana também foi atingido por chuvas e ventos intensos.   A tempestade, que se formou perto de uma enorme área de produção de petróleo e gás no norte do golfo do México no domingo, estava a cerca de 80 quilômetros a sudeste de Port Arthur, Texas, e 135 quilômetros a leste de Galveston. Ela se move a oeste-noroeste a cerca de 19 quilômetros por hora. A tempestade pode causar acúmulo de chuvas de até 13 centímetros nas regiões costeiras de Louisiana e de até 25 centímetros em algumas partes do sudeste do Texas, segundo os meteorologistas norte-americanos.   De acordo com meteorologistas, o Edouard deve chegar no continente por volta do meio-dia desta terça (horário local), entre os Estados do Texas e da Louisiana. O governador texano, Rick Perry, emitiu um alerta de área de desastre para 17 cidades na rota da tempestade e preparou 1.200 soldados da Guarda Nacional para emergências. Na Louisiana, o governador Bobby Jindal declarou estado de emergência e pediu para que 3 mil moradores de áreas costeiras deixassem suas casas.   Mesmo com os temores pelos riscos da tempestade em plena temporada de férias em Galveston, alguns turistas estava decididos a permanecer no local, com esperanças de que a região não seja tão castigada como as cidades atingidas no sul do Texas pela passagem do furacão Dolly, em 23 de julho.   Autoridades dos dois Estados intensificaram os preparativos caso o Edouard ganhe força. A tempestade tropical pode se transformar em furacão por conta das águas quentes, do Golfo, que favorecem a intensificação do fenômeno. Permanece em vigor um alerta desde a foz oeste do rio Mississippi até Port O'Connor, no Texas, mo oeste de Intracoastal City, na Louisiana, até Port O'Connor.   "Nossas maiores preocupações agora são as quedas de energia e as enchentes nas ruas", disse Mark Sloan, coordenador de emergência do condado de Harris, no Texas. "Mas não deve ser um problema muito grande para nós".   Durante a temporada atlântica, que começou em 1º de junho e termina em 30 de novembro, já se formaram cinco tempestades tropicais, Arthur, Bertha, Cristóbal, Dolly e Edouard, das quais a segunda e a quarta se transformaram em furacão.   Os meteorologistas previram que a temporada será "um pouco mais ativa" que o normal, com a formação de entre seis e nove furacões e de 12 a 16 tempestades tropicais.

Tudo o que sabemos sobre:
EUA.Edouard

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.