Tempo mais frio ajuda a controlar incêndios na Califórnia

Previsões de chuvas na região podem auxiliar ainda mais no combate das chamas no sul do Estado

Efe e Reuters,

27 de outubro de 2007 | 15h54

O tempo mais frio e os ventos fracos ajudaram milhares de bombeiros a controlar os incêndios no sul da Califórnia neste sábado, 27, enquanto moradores percorriam paisagens queimadas para avaliar o estado de suas casas. As condições climáticas mais frescas e o céu nublado, predominantes na região desde sexta-feira, serviram de reforço aos bombeiros e aquietaram os temores iniciais de que novas ventanias poderiam alimentar as chamas, responsáveis pela morte de 12 pessoas. "Ajudou ontem e está ajudando novamente hoje. Amanhã podem ocorrer chuvas isoladas sobre a região. O tempo realmente está ajudando bastante", disse Randy Eardley, um porta-voz do Centro Nacional Interagências para Incêndios. Em Fallbrook, situada 65 quilômetros ao Norte de San Diego, equipes levantavam os prejuízos causados pelo fogo, que destruiu muitas casas e escureceu grandes pedaços de terra, de acordo com um fotógrafo da Reuters. Aproximadamente 24 incêndios perto de Los Angeles e da cidade litorânea de San Diego queimaram por volta de 2.100 quilômetros quadrados na última semana, com cerca de dois terços destes focos controlados no final da sexta-feira, segundo informações do governo americano. Os incêndios destruíram 2 mil casas e outras estruturas, com perdas que devem atingir US$ 1 bilhão apenas em San Diego, cidade mais atingida. Atuação eficiente O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, se mostrou satisfeito com a resposta das autoridades locais e estaduais à série de incêndios registrados no sul da Califórnia, considerada "rápida e eficaz". Sem se referir à catástrofe do furacão Katrina, ocorrida em agosto de 2005, quando o governo foi duramente criticado pela lentidão, Bush disse que agora "as autoridades locais e estaduais da Califórnia estavam bem preparadas". "Responderam rápida e eficazmente", afirmou o presidente, que na quinta-feira viajou à costa oeste para verificar pessoalmente a gravidade da situação. Bush lembrou que as autoridades foram rápidas ao mobilizar os moradores que corriam riscos pela proximidade das chamas e ao montar dezenas de refúgios para abrigá-los, e também foram eficientes ao solicitar a ajuda do Governo federal, em Washington. Perante a insuficiência de meios para combater os incêndios, o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, pediu mais ajuda federal, o que levou o presidente a declarar situação de emergência. Bush lembrou que ao longo da semana aprovou outros planos para oferecer ajudas financeiras aos desabrigados, especialmente para reconstrução de casas, recuperação de negócios e cobertura de perdas não previstas nos seguros.

Tudo o que sabemos sobre:
CalifórniaEUAincêndios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.