Terremoto no Chile repercutiu na Califórnia, diz estudo

O devastador terremoto de fevereiro passado no Chile pode ter provocado uma série de tremores mais brandos em locais tão distantes quanto a Califórnia, disseram pesquisadores dos Estados Unidos na sexta-feira.

REUTERS

14 de janeiro de 2011 | 21h11

Zhigang Peng, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, e seus colegas de lá e do Departamento de Pesquisas Geológicas dos EUA em Menlo Park, na Califórnia, disseram que o sismo chileno, de magnitude 8,8, teve repercussões a até 10 mil quilômetros de distância.

Os terremotos na região central da Califórnia começaram seis horas depois do tremor no Chile.

"Em particular, identificamos microterremotos provocados (pelo sismo chileno) no Campo Geotérmico Coso", disse o estudo, publicado na revista Geophysical Research Letters.

"Essa é uma das regiões sismicamente mais ativas da Califórnia", disseram eles. "Pelo menos quatro microterremotos rasos (a menos de 3 quilômetros) no Campo Geotérmico Coso devem ter sido desencadeados por ondas telessísmicas do terremoto do Chile."

Eles também notaram um aglomerado de terremotos profundos e de baixa frequência ao longo da seção Parkfield-Cholame, na Falha de San Andrés.

O terremoto do Chile matou 500 pessoas e provocou uma série de tsunamis que devastou cidades costeiras do país sul-americano.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACHILETERREMOTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.