Tesouro dos EUA congela ativos de filho de Osama bin Laden

O Tesouro norte-americano disse nesta sexta-feira que irá congelar ativos do filho de Osama bin Laden e outros três membros da al Qaeda que supostamente estão operando no Irã. "É importante que o Irã preste contas públicas de como está cumprindo suas obrigações internacionais de reprimir a al Qaeda", disse Stuart Levey, subsecretário do Tesouro. Qualquer ativo que eles tenham sob a jurisdição dos Estados Unidos será congelado, e os norte-americanos serão proibidos de fazer negócios com eles, informou o Departamento do Tesouro. "Essa denominação tem um amplo impacto, intimidando possíveis colaboradores que financiariam o terrorismo e dificultando a procura da liderança da al Qaeda por mais recursos necessários", disse Levey. Segundo o Tesouro, o filho de Osama bin Laden se chama Sa'ad bin Laden. Autoridades iranianas capturaram o filho de Osama no início de 2003, mas o Tesouro disse ser provável que ele não esteja mais sob custódia como em setembro do último ano. O Tesouro revelou o nome dos três membros do grupo, o egípcio Mustafa Hamid, descrito pela agência como o primeiro interlocutor entre a al Qaeda e o governo iraniano, Muhammad Rab'a al-Sa Yid al-Bahtiyti, do Egito, membro sênior do grupo islâmico Jihad e Ali Saleh Husain, que supostamente mantém uma relação estreita com Osama bin Laden. (Reportagem de Nancy Waitz)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.