Texas pode ser último esforço de resistência de Hillary

O Texas supostamente seria um bastiãode sustentação para Hillary Clinton em sua batalha pelaindicação democrata à Casa Branca, mas o Estado norte-americanopode se transformar em seu Álamo. A grande vantagem que Hillary detinha no Estado contra seuconcorrente Barack Obama desapareceu e especialistas dizem quea disputa no Texas está caminhando para ser o último esforço deresistência da pré-candidata. Em um dos capítulos mais famosos da história dos EstadosUnidos, militantes pela independência do Texas tentaram deteras forças mexicanas no Álamo, em 1836, mas foram varridos dolocal por tropas mais potentes e numerosas. No caso atual, não são soldados, mas o 'momentum' de Obama,ameaçando fazer o mesmo com as aspirações de Hillary àPresidência dos Estados Unidos. Depois de vencer 11 primárias seguidas, o senador do Estadode Illinois Barack Obama ultrapassou Clinton nas pesquisasprévias no Texas, tirando uma desvantagem que chegou a atingirdois dígitos. Uma pesquisa realizada pela Reuters, em associação com ocanal C-SPAN e o jornal Houston Chronicle, divulgada nestesábado, mostrou Obama liderando com 45 por cento das intençõesde voto para a primária da próxima terça-feira, contra 43pontos para Hillary. A pesquisa tem margem de erro de 4 pontospercentuais. "É o último ponto de resistência de Hillary e cada vez maisparece que não terá sucesso", afirmou Matthew Wilson, cientistapolítico da Universidade Metodista em Dalas. "Nesse momento seria difícil ocorrer algo errado com Obama.Ele está em uma jornada formidável e ainda não parece que seubalão começou a esvaziar", acrescentou Wilson. O Texas, vizinho da terra natal dos Clinton, Arkansas,deveria ser um território cativo da família. Eles possuem laçoshistóricos com os democratas do Estado, assim como forterelacionamento com as populações hispânica e negra da região. Mas Obama fez grandes avanços nas últimas semanas no Texas,dividindo o voto dos brancos e recebendo amplo suporte doeleitorado negro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.