Tiroteio em Newtown completa um ano e Obama pede maior controle de armas

Tiroteio em escola de Connecticut deixou 26 mortos, 20 eram crianças

Reuters

14 de dezembro de 2013 | 10h04

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, marcou o aniversário de um ano do tiroteio em uma escola em Newtown neste sábado com o pedido por mais controle de armas e expansão dos cuidados de saúde psicológica.

"Nós ainda não fizemos o suficiente para tornar nossas comunidades e nosso país mais seguro", disse o presidente em seu discurso semanal. "Nós temos que fazer mais para impedir as pessoas perigosas de terem armas em suas mãos tão facilmente."

O presidente não mencionou o tiroteio em uma escola do estado do Colorado na sexta-feira, onde um estudante armado feriu pelo menos um colega antes de, aparentemente, se matar. O discurso do presidente costuma ser gravado com antecedência.

Obama deve fazer um momento de silêncio na Casa Branca e acender velas mais tarde neste sábado, em memória das 20 crianças e seis funcionários que morreram no tiroteio na escola de Connecticut um ano atrás.

A lei que teria ampliado a verificação de antecedentes para a venda de armas feitas online e em feiras de armas não conseguiu passar pelo Senado dos EUA neste ano. Os opositores argumentam que é essencial proteger o direito dos norte-americanos de manter e portar armas.

A Casa Branca propôs gastar 130 milhões de dólares para ajudar os professores e outras pessoas que trabalham com jovens a reconhecer os sinais de doença mental e ajudar as pessoas a começarem um tratamento, mas o Congresso ainda não alocou esses recursos.

(Por Mark Felsenthal)

Tudo o que sabemos sobre:
TiroteioObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.