Tornados e tempestades matam mais de 220 no sul dos EUA

Tornados e tempestades devastadoras atingiram o sul dos EUA e mataram mais de 220 pessoas em sete Estados, destruindo casas, virando carros e arrancando árvores, informaram autoridades nesta quinta-feira.

VERNA GATES, REUTERS

28 de abril de 2011 | 12h58

A série de tornados mais violenta em quase quatro décadas nos Estados Unidos deixou 131 mortos no Alabama, o Estado mais afetado, que sofreu "grande destruição de propriedades", segundo o governador Robert Bentley.

"Acreditamos que o número vai aumentar", disse Bentley em teleconferência com o administrador da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências, Craig Fugate.

Segundo estimativas preliminares, autoridades estatais registraram 32 mortos em Mississipi, 30 em Tennessee, 11 no Arkansas, 10 na Geórgia, oito em Virgínia e dois na Louisiana. Fortes tornados -- quase 100 no total -- se uniram em núcleos para gerar tempestades que deixaram um rasto de destruição do oeste para o leste em um período de alguns dias.

A usina nuclear de Browns Ferry, no Alabama, deve ser fechado por alguns dias, possivelmente semanas, enquanto trabalhadores consertam as linhas de transmissão que foram danificadas.

Cerca de 1 milhão de pessoas no Alabama ficaram sem energia.

O chefe da agência de emergência disse ser muito cedo para confirmar o número total de mortos, e as autoridades estão concentrando os esforços em resgate e recuperação.

A pior devastação aconteceu na quarta-feira no Alabama, onde um grande tornado de 1,6 quilômetro de largura atingiu a cidade universitária de Tuscaloosa, matando 15 pessoas, incluindo alguns estudantes.

"Tinha o som de uma serra elétrica. Você conseguia ouvir os destroços atingindo coisas. Tudo o que tenho agora são algumas roupas e ferramentas que eram muito pesadas para serem levadas pela tempestade. Não parece real", disse o estudante Steve Niven, de 24 anos.

O presidente Barack Obama declarou situação de emergência no Estado e ordenou ajuda federal.

"Nossos corações estão com todos aqueles que foram afetados por esta devastação e estamos de prontidão para continuar a ajudar o povo do Alabama," disse Obama em uma mensagem no Twitter nesta quinta-feira.

Tornados são comuns no sul e no meio-oeste dos Estados Unidos, mas raramente são tão devastadores.

Lojas, shopping centers, drogarias e postos de gasolina foram destruídos em parte de Tuscaloosa, uma cidade a cerca de 95 mil habitantes da região central de Alabama.

"Jamais tivemos um evento climático desta dimensão em nossa história", disse a Autoridade do Vale do Tennessee, uma empresa estatal que fornece eletricidade a nove milhões de pessoas em sete Estados.

Robert Bentley, governador do Alabama, declarou estado de emergência e disse estar destacando 2 mil Guardas Nacionais. Os governadores de Arkansas, Mexesses e Tennessee também declararam estado de emergência.

"Estamos concentrados em busca e resgate. Vamos fazer tudo para encontrar os que estão presos e os que não encontramos ainda," disse Bentley à CNN.

"Todo mundo diz que (um tornado) parece um trem, e comecei a ouvir o trem," disse Anthony Foote, morador de Tuscaloosa cuja casa foi gravemente danificada, à Reuters. "Corri e pulei dentro da banheira e a casa começou a sacudir. Depois os vidros começaram a se estilhaçar."

(Reportagem adicional de Peggy Gargis em Birmingham e Leigh Coleman em Biloxi)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAALABAMATEMPESTADESATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.