Trinta e duas pessoas presas em protesto antiguerra nos EUA

Trinta e duas pessoas foram presas nestaquarta-feira ao tentarem bloquear as entradas do edifício ondefunciona a agência coletora de impostos dos Estados Unidos, emWashington, em protestos que marcaram o quinto aniversário dainvasão norte-americana do Iraque, segundo a polícia. Os manifestantes haviam planejado o bloqueio do prédio emum dos diversos eventos contra a guerra planejados emWashington, no dia em que a guerra do Iraque inicia seu sextoano. Ernestine Fubbs, uma porta-voz das autoridades de Imigraçãoe Alfândega, a agência da polícia que acompanhou o protesto,disse que 32 pessoas foram presas quando atravessaram barreirascolocadas pela polícia na entrada do prédio. Outros policiaisdisseram que o evento não foi violento. Uma hora depois do início do impasse, dezenas demanifestantes levantaram placas com os dizeres "Parem de pagarpara matar" e "Até quando?", enquanto uma banda tocava.Empregados da agência coletora de impostos conseguiam entrarfacilmente no prédio. "Nós queríamos colocar nossos corpos entre o dinheiro e oque aquele dinheiro financia -- a guerra, a ocupação, asbombas", disse Frida Berrigan, uma organizadora, da Liga dosResistentes à Guerra. "Teria sido muito bom fechar o prédio pelo dia inteiro, masacho que foi uma boa ação simbólica", afirmou Berrigan. Em um evento separado no centro comercial nacional, cercade 100 manifestantes do grupo antiguerra dos Veteranos pela Pazagitavam bandeiras norte-americanas de cabeça para baixo, umsinal tradicional de angústia. "Bush e Cheney deveriam estar na cadeia", cantaram osmanifestantes, referindo-se ao presidente norte-americanoGeorge W. Bush e ao vice-presidente Dick Cheney. (Reportagem adicional de Lisa Lambert)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.