TV pede libertação de repórter que atirou sapatos em Bush

Canal pede cumprimento da 'liberdade de expressão e democracia' prometida pelo novo regime iraquiano

15 de dezembro de 2008 | 10h34

O canal de televisão "Al-Baghdadia", com sede no Cairo, pediu hoje às autoridades iraquianas a libertação do jornalista Muntazer al-Zaidi, que foi detido no domingo após atirar os sapatos no presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em entrevista coletiva em Bagdá.   Veja também: NYT: EUA 'maquiaram' reconstrução do Iraque Assista ao vídeo da Associated Press    "O comitê diretor do canal 'Al-Baghdadia' exige às autoridades a libertação imediata de Zaidi, de acordo com a linha de liberdade de expressão e democracia prometida pelo novo regime iraquiano", indicou o canal em comunicado lido diante das câmeras.   O apresentador acrescentou que a "'Al-Baghdadia' considera as autoridades americanas e iraquianas responsáveis de qualquer medida contra Zaidi, que, caso seja adotada, será uma lembrança da conduta seguida durante a era do ditador (Saddam Hussein) caracterizada pela violência, as detenções indiscriminadas e as valas comuns".   O canal pediu aos veículos de comunicação árabes e internacionais para mostrarem solidariedade para com o jornalista iraquiano.   Zaidi, de 27 anos, atirou os dois sapatos contra Bush durante uma entrevista coletiva conjunta oferecida pelo presidente dos Estados Unidos junto ao primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, após a ratificação de um acordo de segurança bilateral que estipula a retirada das tropas americanas do Iraque até 2012. Antes de lançar os dois sapatos - Bush conseguiu desviar de um e o outro errou o alvo -, o repórter gritou: "Este é o beijo de despedida, cão". Após o incidente, os guardas de segurança detiveram o agressor e o tiraram da sala.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.