Universidade dos EUA prevê temporada agitada de furacões em 2013

A temporada de furacões de 2013 no Atlântico será "acima da média", com 18 tempestades tropicais, das quais nove se tornarão furacões, previram meteorologistas da Universidade do Estado do Colorado, nesta quarta-feira.

KEVIN GRAY, Reuters

10 de abril de 2013 | 12h20

Quatro dos furacões serão grandes, com ventos sustentados de pelo menos 178 quilômetros por hora, disse a principal equipe de pesquisa de tempestades nos EUA.

A média de uma temporada é de cerca de 12 tempestades tropicais, seis furacões e dois grandes furacões no Atlântico, Caribe e Golfo do México, de acordo com a universidade. A temporada de furacões vai de 1º de junho a 30 de novembro.

A previsão para um 2013 mais agitado foi feita com base em dois fatores, segundo os pesquisadores. Furacões prosperam em água morna, e o oceano Atlântico tem aquecido nos últimos meses.

Há também pouca expectativa de um efeito El Niño no verão e outono.

O El Niño é um aquecimento das águas superficiais do Pacífico, que ocorre a cada 4 a 12 anos e tem muitas consequências em todo mundo. O fenômeno meteorológico corta os ventos de forma a dificultar que as tempestades se transformem em furacões na bacia Atlântico-Caribe.

Os pesquisadores disseram que havia uma chance de 72 por cento de que um grande furacão atinja a costa dos EUA este ano, em comparação com uma média histórica de 52 por cento.

A temporada de furacões de 2012 gerou 19 tempestades tropicais e 10 furacões, incluindo o Sandy, que atingiu o nordeste dos Estados Unidos em outubro, após passar pelo Caribe.

O Sandy matou mais de 200 pessoas e causou mais de 71 bilhões de dólares em danos em Nova York e Nova Jersey.

Tudo o que sabemos sobre:
EUATEMPORADAFURACOESMAISAGITADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.