US Airways terá que indenizar muçulmanos expulsos de voo

Em 2006, os religiosos foram explulsos por levantar suspeita dos passageiros

Efe

21 de outubro de 2009 | 04h18

A linha aérea americana US Airways aceitou pagar uma indenização a seis líderes religiosos muçulmanos que, há três anos, foram expulsos de um de seus voos por supostamente realizar atividades suspeitas.

 

A decisão de US Airways foi aplaudida pelo Conselho para as Relações Islâmico-Americanas, que assinalou que constitui "uma vitória da Justiça e dos direitos civis".

 

O conselho, que assumiu a defesa legal dos seis imames, disse que receberão uma soma não especificada em compensação pelo incidente e que o caso "foi resolvido para a satisfação de todas as partes".

 

Os homens foram tirados de um avião de US Airways que realizava um voo entre Mineápolis e Phoenix dia 20 de novembro de 2006 e submetidos a um interrogatório que durou cinco horas.  

 

Os líderes religiosos levantaram suspeitas de alguns passageiros e do pessoal do aparelho quando começaram "as preces noturnas frequentes", segundo explicaram em uma declaração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.