Vazamento de produto químico compromete consumo de água nos EUA

Cerca de 300.000 moradores do Estado norte-americano da Virgínia Ocidental foram orientados nesta sexta-feira a não beber água da torneira por causa de um vazamento de um produto químico que ameaçou a sua segurança.

ANN MOORE, Reuters

10 de janeiro de 2014 | 20h09

As autoridades do setor de saúde disseram que a água na área afetada somente deveria ser usada nas descargas dos banheiros e no combate a incêndios.

"Nós não sabemos se a água não está segura, mas não posso dizer se está segura", disse o presidente da West Virginia American Water, Jeff McIntyre, em entrevista transmitida pela TV. A empresa administra a maior usina de tratamento de água do Estado.

O governador Earl Ray Tomblin declarou estado de emergência em nove condados e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, baixou uma declaração de emergência nesta sexta-feira. O derramamento forçou o fechamento de escolas e empresas na capital do Estado.

Segundo McIntyre, estão sendo feitos testes na água, mas ele não pôde dizer quando ela seria declarada segura para uso normal.

O vazamento de 4-Methylcyclohexane Methanol, ou MCHM Cru, um químico usado na indústria de carvão, ocorreu na quinta-feira no rio Elk, em Charleston, capital e maior cidade da Virgínia Ocidental, num ponto acima da usina administrada pela West Virginia American Water. A água contendo esse produto tem um cheiro de alcaçuz ou anis.

O produto não é letal, mas ainda é preciso determinar qual é o nível dele na água que pode ser considerado seguro, segundo McIntyre.

(Reportagem adicional de Ian Simpson, em Washington, de Mary Wisniewski, em Chicago, e de Eric M. Johnson, em Seattle)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVAZAMENTOAGUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.