Vazamento de produto químico deixa 300 mil sem água nos EUA

Até 300 mil habitantes do estado norte-americano da Virgínia Ocidental passaram a segunda noite sem poder tomar banho ou beber água encanada devido ao vazamento de produtos químicos no Rio Elk, perto da capital estadual, Charleston, embora o nível de contaminação tenha diminuído.

Reuters

11 de janeiro de 2014 | 10h57

Quase 19 mil litros do produto 4-metilciclohexano metanol vazaram no rio na quinta-feira, afirmou o governador Earl Ray Tomblin em entrevista à CNN.

Na sexta-feira, ele declarou estado de emergência em nove condados, e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, emitiu uma declaração de emergência. O vazamento forçou o fechamento de escolas e lojas em Charleston, a maior cidade da Virgínia Ocidental.

O governador disse que testes realizados de hora em hora na água mostraram "que o nível de contaminação está caindo". "Mas não temos certeza de quanto tempo vai demorar para que seja razoável retirar a proibição de uso da água", afirmou.

(Por Ann Moore)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVAZAMENTORIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.