Veja outros casos de violência policial nos EUA

Negros e imigrantes são as maiores vítimas de abusos policiais

25 de abril de 2008 | 17h21

Março de 1991- O motorista Rodney King foi espancado por policiais de Los Angeles depois de ter sido abordado por excesso de velocidade. King não cumpriu a ordem de parar o carro. Um vídeo com o flagrante do espancamento se espalhou pelo mundo. As imagens mostram quatro policiais agredindo King enquanto eram assistidos por outros seis oficiais.  Os policiais que participaram do espancamento foram absolvidos por uma corte federal em 1992. Seis dias após o veredicto, em 29 de abril de 1992, centenas de pessoas saíram às ruas entrando em conflito com a polícia, saqueando lojas e incendiando prédios. Pelo menos 53 pessoas morreram nos distúrbios. Os policiais acabaram condenados em um outro julgamento. Agosto de 1997 - O imigrante haitiano Abener Louima é torturado com um cabo de vassoura nas dependências se uma delegacia pelo policial Justin Volpe. O oficial foi condenado a 30 anos de prisão em 1999. Junho de 1999- Antoine Reid foi baleado por um policial fora de serviço ao tentar lavar o vidro do carro do oficial, que estava parado no trânsito próximo ao estádio dos Yankees, em Nova York. O policial foi absolvido na esfera criminal, mas afastado de suas funções.  Fevereiro de 2000 - A cidade de Nova York foi tomada por cinco dias de protestos após a absolvição de quatro policiais brancos pela morte com 19 tiros do imigrante negro Amadou Diallo, ocorrido em 1999. Nascido na Guiné, Diallo era um camelô de 22 anos com a ficha limpa e que foi abordado por quatro policiais que acabaram o executando, depois de ele, alegadamente, ter feito movimentos bruscos. Ao todo foram disparados 41 tiros na ação.  Julho de 2000 - Na cidade de Filadélfia, o mecânico Thomas Jones foi espancado por 20 policiais após ter ser carro parado por uma patrulha e tentar reagir roubando a arma de um dos oficias.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAviolência policial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.