Veja perfil de Joe Biden, candidato a vice de Obama

Senador democrata de 65 anos era o favorito à nomeação por sua experiência em política internacional

Redação com Efe

23 de agosto de 2008 | 02h13

Nascido em Scranton, Pennsylvania, em 1942, Biden é um democrata liberal e católico descendente de irlandeses. Representa o Estado de Delaware no Senado desde 1972 e está no seu sexto mandato. O senador preside o comitê de Relações Exteriores do Senado e é considerado uma das maiores autoridades em política externa do partido. Em seu site pessoal, Biden destaca dois artigos que escreveu neste mês sobre política externa, sobre o Afeganistão e a Geórgia. No primeiro deles, o senador defende que o foco da luta dos Estados Unidos contra o terrorismo deve ser Cabul, e não Bagdá. No segundo, Biden critica a reação desproporcional da Rússia contra a Geórgia e argumenta que a ação tem mais a ver com a influência geopolítica russa na região do que com a independência da Ossétia do Sul.Extrovertido, bom argumentador e mordaz orador, Biden reúne os três requisitos que Obama procura em um companheiro de chapa eleitoral: está preparado para ser presidente, será capaz de ajudá-lo a governar e, sobretudo, tem idéias próprias.  "Quero alguém capaz de desafiar minhas idéias e não simplesmente alguém que diga sim para tudo", assegurou na sexta-feira Obama em declarações nas quais, sem revelar o nome do eleito, fez um retrato da pessoa com a qual quer compartilhar as tarefas da Presidência. Biden foi pré-candidato à presidência dos EUA em 2008, mas, com pouco apoio, retirou sua chapa logo após o início das eleições primárias. Biden votou a favor da guerra do Iraque - o que Obama foi contra desde o início - mas se opôs posteriormente à maneira como o governo de George W. Bush lidou com a ocupação do país. Formado em direito pela Universidade de Delaware, se elegeu senador com 29 anos. Uma curiosidade sobre ele é que o senador ainda mora em sua cidade natal, ao lado da esposa e da mãe, de 90 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
BidenObamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.