Vencedor em Iowa, Romney mantém liderança em New Hampshire

O pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos Mitt Romney mantinha a forte liderança na disputa em New Hampshire na próxima semana, enquanto Rick Santorum, que saiu das primárias em Iowa em uma boa posição, ganhava terreno, segundo uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira.

REUTERS

04 de janeiro de 2012 | 13h21

Mas os rivais mais próximos de Romney no Estado, Ron Paul e Jon Huntsman, perderam terreno com os eleitores nas primárias, mostrou a pesquisa.

Na manhã seguinte à estreita vitória de Romney no cáucus (eleição primária) de Iowa, a pesquisa diária da Universidade de Suffolk/7 News mostrou que o ex-governador de Massachusetts mantinha os 43 por cento de apoio, mesmo nível dos últimos dois dias.

O congressista texano Ron Paul seguia Romney bem atrás, com 14 por cento de intenção de votos, na pesquisa feita entre 2 e 3 de janeiro, em comparação com os 16 por cento divulgados um dia antes.

Os eleitores que participarão das primárias de New Hampshire vão às urnas em 10 de janeiro na segunda disputa da campanha para escolher um candidato republicano que enfrentará o presidente norte-americano Barack Obama na eleição geral de novembro.

Santorum, o ex-senador da Pensilvânia que seguia Romney por uma estreita margem no cáucus do partido em Iowa na terça-feira, ficou em quinto lugar entre os eleitores de New Hampshire, com apenas 6 por cento de apoio. Mas a pesquisa mostrou que ele ganhava terreno sobre o ex-presidente da Câmara Newt Gingrich, cujo nível de apoio caiu para 7 por cento, em comparação a 9 por cento um dia antes.

"Se Santorum ultrapassar Gingrich e derrotá-lo no quinto lugar, isso seria fatal para Gingrich", disse David Paleologos, diretor do Centro de Pesquisa Política da Universidade de Suffolk, em comunicado.

Gingrich e Romney devem chegar a New Hampshire na quarta-feira para continuar sua campanha.

O ex-governador de Utah Jon Huntsman, que centrou os esforços de sua campanha em New Hampshire, manteve o terceiro lugar com 9 por cento das intenções de voto.

A pesquisa baseia-se em entrevistas obtidas por telefone em 2 e 3 de janeiro com 500 eleitores nas primárias republicanas e tem uma margem de erro de 4,4 pontos percentuais para mais ou para menos.

(Reportagem de Scott Malone em Manchester, New Hampshire, reportagem adicional de Ros Krasny em Boston)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.