Vento reduz e bombeiros avançam no combate ao fogo nos EUA

Equipes buscam por vítimas nos escombros das casas atingidas; quase 800 casas foram destruídas pelos incêndios

Associated Press e Reuters,

17 de novembro de 2008 | 13h58

Com a diminuição dos ventos, os bombeiros conseguiram nesta segunda-feira, 17, avançar no controle de três focos de incêndio que destruíram centenas de casas na Califórnia. Milhares de moradores foram forçados a deixar a região. Durante o fim de semana, os ventos chegaram à 115 quilômetros por hora. Mas nesta segunda-feira caíram para 32 quilômetros por hora, segundo o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos. Os incêndios começaram na quinta-feira, em Santa Barbara, e atingiram condados a leste, queimando mais de 14 mil hectares. O fogo se aproximava de Diamond Bar, no condado de Los Angeles. Os bombeiros vasculhavam, usando cachorros, algumas das áreas atingidas, em busca de vítimas. Até agora, não havia relatos sobre mortos. Milhares de moradores do sul da Califórnia voltaram para suas casas - ou para as cinzas e destroços que restaram depois de um fim de semana de incêndios alimentados pelo vento e o calor. Outros encontraram seus lares miraculosamente intactos. "Foi realmente difícil quando chegamos aqui. Foi chocante, ficamos todos chorando", contou à Reuters Brittney Fowler, 23 anos, que recolhia pertences entre os destroços da casa grande e moderna da sua família na localidade de Yorba Linda, Condado de Orange. Desde a noite de quinta-feira, o fogo já consumiu 8 mil hectares nos morros ao norte de Los Angeles, nos cânions do Condado de Orange, a sudeste, e na localidade de Montecito, reduto de celebridades perto de Santa Barbara, ao norte. Entre as cerca de mil residências destruídas há desde modestos trailers até mansões milionárias. No domingo, as autoridades começaram a autorizar a volta de mais de metade das cerca de 50 mil pessoas que haviam sido retiradas de suas casas. Mas os bombeiros disseram que o controle total das chamas ainda vai levar vários dias. O sul da Califórnia enfrenta uma seca de dois anos, e o crescimento populacional dos últimos 20 anos substituiu o mato seco dos subúrbios por condomínios habitacionais. Ao lado de muitas casas reduzidas a cinzas, outras permaneciam intactas. Fowler contou que conseguiu salvar dois cães, uma tartaruga e algumas fotos antes de fugir com sua família, quando o telhado começou a pegar fogo. "Dava para sentir o calor e ver brasinhas voando, e aí dissemos: 'Temos de ir embora'. Fiquei olhando ao redor, pensando: 'Vou sentir saudades da casa'", disse ela no domingo. Como muitas vítimas. Fowler pensa em reconstruir a casa - um sentimento ecoado pelo prefeito de Los Angeles, Antonio Villaraigosa, que no domingo declarou a jornalistas: "Vamos reconstruir, não se enganem a respeito disso."

Tudo o que sabemos sobre:
CalifórniaEUAincêndios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.