Violação de direito autoral pode extraditar britânico aos EUA

Um estudante britânico saberá nesta sexta-feira se será extraditado para os Estados Unidos por infringir uma lei de direitos autorais norte-americana ao administrar um site que permitia aos usuários acessar filmes e programas de televisão ilegalmente, no primeiro caso do tipo.

GEORGINA PRODHAN, REUTERS

13 de janeiro de 2012 | 14h01

O site de Richard O'Dwyer, chamado TV Shack, fornecia links para outros sites onde os usuários podiam acessar o conteúdo, mas não abrigá-lo.

O estudante de 23 anos, que disse ter iniciado o projeto para melhorar suas habilidades em programação de computador e para ajudá-lo a obter uma vaga de emprego, não cobrava dos usuários, mas vendeu 230 mil dólares em publicidade no site, segundo as autoridades norte-americanas.

"Fui obrigado a criar a publicidade por causa das taxas maciças do servidor", disse O'Dwyer à rádio BBC antes da sentença de um tribunal de Londres.

"Quando se tem um site com mais de 300 mil visitas por mês, é preciso infraestrutura para apoiá-lo. Não há outra maneira de fazer isso, a menos que você tenha o dinheiro", disse.

Os Estados Unidos reprimem de maneira mais dura do que a Grã-Bretanha o compartilhamento de arquivos, que vem prejudicando as indústrias de cinema, música e televisão.

O advogado do estudante, Ben Cooper, argumenta que as atividades de seu cliente não são criminosas na Grã-Bretanha, e que ele deveria ser julgado em seu país.

"Meu argumento é que não seria um caso criminoso aqui. No máximo, seria uma questão civil", disse Cooper à Reuters por telefone.

Ele descreveu O'Dwyer como uma "cobaia", já que nenhum cidadão britânico foi extraditado para os EUA por um delito de direitos autorais antes.

Tudo o que sabemos sobre:
EUADIREITOSAUTORAIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.