Visita de Sarkozy acena com melhor relação com os EUA

Relações entre os países foram abaladas pelos enfrentamentos de Jacques Chirac com Bush sobre o Iraque

Associated Press e Efe,

07 de novembro de 2007 | 02h50

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, foi na noite desta terça-feira, 6, o convidado de honra de um jantar de Estado oferecido pelo seu colega americano, George W. Bush, na Casa Branca. A visita abre uma nova etapa na relação bilateral, acabando com anos de enfrentamentos diplomáticos. As duas nações apóiam a imposição de sanções contra o Irã por seu programa de armas nucleares e as resoluções das Nações Unidas em apoio a soberania libanesa. Apesar de inicialmente a França ter sido contra a guerra no Iraque, Sarkozy enviou seu ministro de Relações Exteriores em uma viagem surpresa de três dias para este país, com o objetivo de aumentar a participação francesa no futuro iraquiano. Bush fez um brinde para Sarkozy no salão e desejou boas-vindas em francês. No jantar havia mais de 100 convidados. Entre eles estavam o vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, a secretária de Estado, Condoleezza Rice, representantes do estado da Louisiana, empresários, legisladores, membros do Poder Judiciário e atletas. Foi o primeiro ato de uma visita de 26 horas do presidente francês. Nesta quarta-feira, 7, ele falará ao Congresso. Sarkozy falou com paixão sobre a liberdade e a necessidade de cooperação bilateral para enfrentar o terrorismo, a proliferação de armas nucleares, a pobreza e o fanatismo religioso. "Vim para Washington trazendo uma mensagem muito simples e direta... Desejo reconquistar o coração dos Estados Unidos de forma duradoura", disse. Mesmo antes de ser eleito em maio, Sarkozy tratou de melhorar as relações com os Estados Unidos, afetadas pelos enfrentamentos do ex-presidente Jacques Chirac com Bush,especialmente em torno do Iraque. "Nunca ficou claro porque brigamos com os Estados Unidos", declarou Sarkozy sobre os desacordos em torno do Iraque. Sarkozy lembrou ainda que no século passado os europeus precisaram enfrentar "duas guerras abomináveis" e os americanos "foram ajudar". "O povo francês nunca se esquecerá", garantiu. Nesta quarta-feira, 7, Sarkozy e Bush visitarão Mount Vernon, a casa de George Washington, primeiro presidente dos EUA. O local fica a cerca de 50 quilômetros de Washington, no estado da Virgínia. A visita lembrará a aliança entre os países e o apoio francês aos EUA durante a revolução que levou à sua independência, no século XVIII.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaEUABushSarkozy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.