Vulcão no Alasca entra em atividade; previstas novas erupções

Cinzas subiram a altura de 15 quilômetros no Monte Redoubt; população se prepara com máscaras de oxigênio

Reuters,

23 de março de 2009 | 16h32

Após várias semanas de tremores e emissões intermitentes de vapor, o vulcão do Monte Redoubt entrou em erupção com o lançamento de cinzas que subiram a uma altura de 15 quilômetros. Novas erupções são previstas. A primeira explosão ocorreu na noite de domingo (horário local), informou o Observatório de Vulcões do Alasca, seguida por quatro erupções menores.  

 

O vulcão de 3.108 metros, localizado 170 quilômetros a sudoeste de Anchorage, a maior cidade do Alasca, havia dado sinais de que uma erupção estava iminente por cerca de dois meses. Até agora Anchorage não foi atingida pelas cinzas vulcânicas, que são prejudiciais à saúde.

"Houve cinco eventos explosivos", disse Tina Neal, geóloga do Observatório de Vulcões do Alasca, de cerca de 22h30 de domingo às 4h31 de segunda-feira, cada um deles com de 10 a 20 minutos de duração. "Cada evento lançou uma nuvem de fumaça a uma altura de 50 mil pés (15.240 metros) e possivelmente 60 mil pés (18.288 metros)", disse Neal.

O observatório emitiu o código vermelho da aviação, advertindo as companhias aéreas para manterem as aeronaves distantes da área. A coluna de fumaça foi lançada a partir de um nível de 9.150 metros e não alcançou áreas mais populosas, afirmou Neal. Ela seguia em direção norte-nordeste e foi percebida na pequena comunidade de Skwentna e possivelmente em Talkeetna.

 

"O vulcão ainda está em atividade", disse ela. "Estaremos o observando bem de perto. Ele ainda se encontra altamente instável e são prováveis novas erupções". A última rodada de atividade sísmica do Redoubt começou em janeiro, levando o Observatório de Vulcões do Alasca a emitir o status de alerta e, por vezes, manter uma equipe de trabalho 24 horas por dia.

Os habitantes de Anchorage e de outras comunidades na região prepararam-se para a erupção comprando máscaras de oxigênio para uma possível contaminação do ar pelas cinzas e estocando alimentos e água.

A última vez que vulcão havia dado sinais de vida foi em dezembro de 1989, quando entrou em erupção diversas vezes ao longo de um período que durou semanas. As erupções lançaram colunas de fumaça de quase 13 quilômetros de altura e o primeiro evento quase derrubou um avião da KLM.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAlascavulcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.