WikiLeaks deu US$ 15,1 mil para defesa de soldado, diz grupo

O WikiLeaks contribuiu com 15,1 mil dólares para a defesa de um soldado norte-americano acusado de entregar ao site centenas de milhares de documentos sigilosos da diplomacia norte-americana, entre outros materiais secretos, disse um grupo de apoio na quinta-feira.

REUTERS

13 de janeiro de 2011 | 20h07

A contribuição do site se destina ao pagamento dos advogados do soldado Bradley Manning, ex-analista de inteligência do Exército dos EUA.

Ele é apontado como responsável pelo vazamento dos 250 mil documentos diplomáticos e de um vídeo, gravado em 2007, que mostrava um ataque de helicóptero que matou 12 pessoas em Bagdá, inclusive 2 funcionários da Reuters.

"Essa doação do WikiLeaks é vital para nossos esforços no sentido de assegurar que Bradley receba um julgamento justo e aberto", disse em nota Mike Gogulski, fundador da Rede de Defesa de Bradley Manning.

Com a contribuição do WikiLeaks, já chega a mais de 100 mil dólares o valor disponível para a defesa do soldado.

Manning está detido na Base Naval de Quantico, na Virgínia, enquanto as autoridades dos EUA investigam a divulgação dos documentos sigilosos no ano passado.

O fato causou constrangimento e irritação para o governo norte-americano, por revelar avaliações excepcionalmente francas dos seus diplomatas a respeito de governos aliados.

Antes, o WikiLeaks já havia enfurecido Washington com o vazamento de documentos relacionados às guerras do Iraque e do Afeganistão.

O australiano Julian Assange, fundador do WikiLeaks, nega ter conhecido Manning, mas acusa os Estados Unidos de usar o soldado para armar acusações contra ele.

Assange está na Grã-Bretanha, sob liberdade condicional, enquanto aguarda uma possível extradição para a Suécia, onde é acusado de abusos sexuais contra duas ex-colaboradoras do WikiLeaks.

Não está claro quando Manning, que foi detido no primeiro semestre de 2010, será levado a julgamento. O soldado servia nas operações de inteligência da Segunda Brigada da Décima Divisão de Montanha, no Iraque.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAWIKILEAKSADVOGADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.