113 imigrantes haitianos são resgatados após naufrágio

Barco com cerca de 200 pessoas bate contra recifes no Caribe; pelo menos 80 estão desaparecidas

Associated Press e Efe,

28 de julho de 2009 | 13h12

Equipes de resgate encontraram 113 sobreviventes presos em dois recifes e recuperaram 11 corpos do barco com até 200 imigrantes haitianos que naufragou próximo às Ilhas de Turks e Caicos, no Caribe, informou nesta terça-feira, 28, a Guarda Costeira dos Estados Unidos. Cinco sobreviventes conseguiram nadar até a costa. Os demais passageiros estão desaparecidos e possivelmente mortos. Estima-se que cerca de 80 pessoas estejam desaparecidas.

 

Um sobrevivente disse que o barco bateu num recife localizado três quilômetros a sudeste da ilha Caicos Oeste quando tentava escapar da polícia. O barco estava no mar havia três dias quando os passageiros viram uma embarcação da polícia e acidentalmente levaram o barco a se chocar contra o recife ao tentar se esconder, disse o sobrevivente Alces Julien no hospital onde alguns dos passageiros resgatados estavam sendo atendidos.

 

Segundo uma porta-voz da Guarda Costeira dos EUA, as informações dadas pelos sobreviventes indicam que de 160 a 200 pessoas estavam a bordo quando a embarcação tombou perto deste canal insular a sudeste das Bahamas. Ela disse que a causa do acidente ainda está sendo investigada.

 

Até o momento, não se sabe o lugar de onde zarpou a embarcação no Haiti e, embora suspeitem que fosse uma operação de contrabando de imigrantes, Barry Bena, porta-voz da Guarda Costeira de Miami disse que não sabiam se o destino era os EUA. "Quando pudermos realizar mais entrevistas com os sobreviventes, então obteremos a informação a respeito", acrescentou o porta-voz.

 

O convênio migratório assinado entre Estados Unidos e Haiti em 1981 estabelece que todo imigrante ilegal haitiano interceptado pelas autoridades americanas deve ser repatriado. Nos últimos anos, dezenas de haitianos morreram afogados quando tentavam chegar ao litoral dos Estados Unidos em pequenas embarcações, após atravessar as águas de Turks e Caicos e das próximas Bahamas.

Tudo o que sabemos sobre:
Haiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.