AP
AP

16 pessoas são assassinadas em guerra do tráfico no México

Oito pessoas foram mortas em bar; cidade é a que mais sofre com violência do narcotráfico no país

28 de abril de 2010 | 22h51

Associated Press

 

CIUDAD JUÁREZ- Pistoleiros chegaram em um bar e retiraram a força do local oito homens a quem assassinaram a tiros no estacionamento, no primeiro de vários atos que deixaram 16 mortos na cidade fronteiriça com os Estados Unidos nesta quarta-feira, 28.

 

Veja também:

linkDois ativistas de direitos humanos morrem em emboscada no México

 

Ciudad Juárez, a cerca de 1.500 km a noroeste de Cidade do México, é a cidade mais afetada pelo narcotráfico, com mais de 4.300 assassinatos vinculados ao crime organizado desde que o presidente Felipe Calderón lançou em dezembro de 2006 uma ofensiva contra os cartéis de drogas. As autoridades locais registraram mais de 800 assassinatos neste ano.

 

O tiroteio no bar Aristos ocorreu aproximadamente às 4h local, e as vítimas, que tinham entre 15 e 40 anos, ainda não foram identificadas, de acordo com o porta-voz da Subprocuradoria de Justiça, Arturo Sandoval. Foram encontradas ao menos 12 balas de calibre 9 mm no estacionamento do bar.

 

Depois do ataque da madrugada no bar, autoridades informaram que ao redor do meio dia local, outros pistoleiros assassinaram três homens em frente a uma escola primária, o que causou uma crise de pânico entre estudantes e professores.

 

Mais tarde, desconhecidos assassinaram a tiros quatro jovens dentro do veículo em que estavam, enquanto em outra parte da cidade pistoleiros mataram um homem que estava em sua cadeira de rodas.

 

A Procuradoria Geral da República informou em um comunicado que um juiz federal ordenou a prisão preventiva de quatro supostos assassinos detidos para que se investigue sua possível participação no assassinato de sete policiais e um jovem em Ciudad Juárez.

 

Autoridades federais anunciaram na segunda a prisão de cinco homens identificados como assassinos do La Línea, um grupo a serviço do Cartel de Juárez, e supostamente admitiram terem participado no ataque.

 

Também no norte do país, no estado de Sonora, a polícia localizou os corpos de três homens em estado de decomposição dentro de um poço na cidade de Puerto Peñasco. A Procuradoria estatal informou em um comunicado que os três tinham ao menos uma marca de bala na cabeça e estavam com os pés e mãos atados.

 

No estado central de Morelos, a polícia informou que localizou o cadáver de homem abandonado em uma estrada.

 

No país, mais de 22.700 pessoas morreram na guerra das drogas desde dezembro de 2006.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.