Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

2 funcionárias de consulado dos EUA são assassinadas no México

Assasssinos abiram fogo contra carro com três pessoas e uma criança de 1 ano no interior; bebê sobreviveu

Agência Estado e Efe,

14 de março de 2010 | 18h01

Um grupo de pessoas ainda não identificadas matou três pessoas ligadas ao Consulado dos Estados Unidos em Ciudad Juárez, no México, na tarde de sábado, 13. Segundo informou a Casa Branca, os assassinos abriram fogo de um carro em movimento.

 

A funcionária do consulado foi identificada por um parente como Lesley Enriquez. O marido, Arthur Redelf, de nacionalidade americana, também morreu. Outra funcionária do consulado também foi morta na emboscada.

 

O filho de um ano do casal, que estava no banco de trás do carro, escapou ileso, disseram as autoridades locais.

 

O ataque ocorreu perto da ponte internacional de Santa Fé, que liga Ciudad Juárez, no Estado mexicano de Chihuahua, a El Paso, no Estado americano do Texas.

 

Também neste domingo, 14, a Casa Branca informou que o marido de uma outra funcionária do consulado foi morto ontem em Ciudad Juárez, aparentemente em um incidente separado.

 

Segundo um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou-se "profundamente entristecido e ultrajado" com a notícia do "assassinato brutal de três pessoas associadas ao Consulado-Geral dos EUA" na cidade mexicana de fronteira.

 

Ciudad Juárez tornou-se notória nos últimos anos pelo elevado número de crimes relacionados ao narcotráfico. Somente no ano passado, mais de 2.600 pessoas foram assassinadas em episódios de violência ligados ao tráfico de drogas.

 

Ao mesmo tempo em que divulgou as informações sobre as mortes, o governo americano autorizou seus diplomatas localizados em consulados na fronteira com o México a enviarem seus familiares para casa, por causa das preocupações com a segurança, informou o Departamento de Estado dos Estados Unidos.

 

Condenação

 

O presidente do México, Felipe Calderón, condenou neste domingo o assassinato de três pessoas vinculadas ao consulado dos Estados Unidos em Ciudad Juárez, considerada a cidade mais violenta do México.

 

Os mortos são o marido de uma funcionária mexicana do consulado, uma outra funcionária americana e o marido desta, também americano.

 

Em comunicado, Calderón expressou sua "indignação" com o fato e manifestou "seu mais sentido pesar aos familiares das vítimas".

 

Além disso, reiterou "o inquebrantável compromisso do Governo do México com o esclarecimento destes graves crimes", assim como de "continuar dedicando todos os recursos disponíveis para fortalecer as condições de segurança pública em Ciudad Juárez e em todo o território nacional".

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste domingo estar "indignado" com os assassinatos.

 

Em comunicado, Mike Hammer, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, diz que Obama "oferece condolências" às famílias dos mortos e "condena estes ataques contra pessoal consular e diplomático a serviço de nossas missões no exterior".

 

Notícia atualizada às 19h22 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.