52% dos venezuelanos 'reprovam' governo de Chávez

Avaliação do presidente é a pior em 5 anos, aponta pesquisa; para 54%, situação do país é negativa

05 de agosto de 2009 | 14h51

Mais da metade da população da Venezuela acha que a situação do país sob o governo do presidente Hugo Chávez é negativa e que o mandatário está se tornando um ditador, revela a análise semestral do Grupo Keller e Associados divulgada nesta quarta-feira, 5.

 

Veja também:

linkRádios venezuelanas burlam proibição de Chávez pela internet

linkChávez diz que Venezuela continuará a nacionalizar empresas

 

Segundo a pesquisa, a falta de resposta do governo aos problemas dos cidadãos, os ataques chavistas à propriedade privada e aos meios de comunicação, os conflitos trabalhistas e sociais e a falta de aceitação ao modelo político que Chávez tenta impor no país fazem com que a opinião pública rejeite o bolivarianismo.

 

Desde o último levantamento, a avaliação negativa da situação do país cresceu dez pontos percentuais e chegou aos 54%. Ao responderem se Chávez estava governando bem o país, 52% dos venezuelanos disse não aprovar a administração do atual presidente. Na pergunta se o presidente estava se tornando um ditador, 51% respondeu de forma positiva. Sobre a corrupção, 64% acham que o mandatário conhece os casos e é responsável por eles.

 

A ausência de propostas concretas aos problemas dos cidadãos, a ameaça à propriedade privada e os meios de comunicação, entre outras questões, são os principais fatores que provocam a percepção de que os venezuelanos querem um substituto para Chávez.

 

Segundo a Keller e Associados, essa é a primeira vez nos últimos cinco anos que o presidente venezuelano se encontra em "franca minoria". Ao avaliar em quem votariam nas próximas eleições, 41% disse apoiar Chávez, enquanto 47% diz preferir outra opção eleitoral.

 

Meios de comunicação

 

Sobre a questão dos meios de comunicação - Chávez emplacou uma luta para revogar concessões de mais de 240 emissoras de rádio e televisão para "democratizar os veículos no país" - 56% dos venezuelanos acreditam que seja uma manobra para o governo esconder seus erros e 60% apoiam a liberdade de expressão, informação e opinião a jornalistas. Quanto ao fechamento da emissora de televisão Globovisión, umas das principais críticas de Chávez, 72% são contrárias à medida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.