A 2 dias da eleição, bomba fere 7 no México

Um artefato explodiu na sexta-feira dentro de um caminhão estacionado em frente à prefeitura de Nuevo Laredo, no norte do México, ferindo sete pessoas, segundo autoridades.

Reuters

29 de junho de 2012 | 18h01

O incidente ocorreu a dois dias da eleição presidencial no país, numa campanha que foi dominada pelo debate acerca da "guerra às drogas" proclamada pelo presidente Felipe Calderón durante os seus quase seis anos de mandato.

A polícia não confirmou de imediato se a explosão teve ligação com o narcotráfico, mas os cartéis mexicanos cada vez mais se valem de veículos com explosivos caseiros, geralmente menores que os carros-bombas empregados em zonas de conflito como o Iraque.

A explosão, na metade da manhã, destruiu o caminhão e danificou outros 11 veículos, além de uma parede da prefeitura, segundo nota do Ministério Público do Estado de Tamaulipas.

Soldados, fuzileiros navais e policiais isolaram o local e recolheram pistas que indiquem o tipo de explosivo usado, segundo a nota. Os serviços de emergência ficaram de prontidão para o caso de novas explosões.

Nuevo Laredo, separada de Laredo (Texas) pelo Rio Grande, tem sido um epicentro da violência ligada ao narcotráfico. Nessa região, o cartel Zetas luta pelo controle das bilionárias rotas para o envio de cocaína para os EUA.

Estima-se que mais de 55 mil pessoas tenham morrido no México em incidentes relacionados às drogas desde a posse de Calderón, no final de 2006.

Pela Constituição, Calderón não pode disputar um novo mandato, e a candidata do seu partido, Josefina Vázquez Mota, aparece apenas em terceiro lugar nas pesquisas. O favorito é Enrique Peña Nieto, do Partido Revolucionário Institucional.

(Reportagem de Lizbeth Diaz e Ioan Grillo)

Mais conteúdo sobre:
MEXICOBOMBAELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.