Acusado de corrupção, vice-presidente do Peru depõe no Congresso

O vice-presidente peruano Omar Chehade se defendeu de alegações de corrupção diante do Congresso na quarta-feira, apesar dos depoimentos de três generais que poderiam aumentar a pressão pela sua renúncia.

OMAR MARILUZ, REUTERS

03 de novembro de 2011 | 08h17

Chehade, um dos dois vice-presidentes do presidente Ollanta Humala, teria supostamente pedido a um general da força policial que ajudasse seu irmão a despejar trabalhadores de uma cooperativa de açúcar que uma empresa privada estava tentando comprar.

Lideranças do partido de Humala, Gana Peru, retiraram seu apoio a Chehade depois que o Congresso e o Ministério Público decidiram há duas semanas iniciar uma investigação no primeiro escândalo do mandato de Humala.

Humala, que fez campanha prometendo combater a corrupção no país, disse que aguardaria as investigações antes de decidir sobre o destino de Chehade.

Chehade não pareceu disposto a renunciar e negou todas as acusações na primeira audiência da investigação na quarta-feira.

(Reportagem de Terry Wade e Marco Aquino)

Tudo o que sabemos sobre:
PERUVICECORRUPCAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.