Acusado de vínculo com Farcs pede investigação no Equador

Ivan Marcelo Larrea quer saber mais sobre o "massacre" cometido por militares da Colômbia em território do Equador no dia 1º de março

EFE

25 de maio de 2008 | 01h01

O equatoriano Ivan Marcelo Larrea, acusado pela Promotoria colombiana de ter supostos vínculos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), pediu neste sábado ao Ministério Público de seu país que investigue o "massacre" cometido por militares da Colômbia em território do Equador no dia 1º de março. Larrea, que dirige o grupo Aliança Bolivariana Alfarista, e que é irmão do ministro coordenador de Segurança, Gustavo Larrea, rejeitou a instrução da Promotoria colombiana iniciada contra si. Segundo o político de esquerda equatoriano, a ação contra si não tem sustentação e pensa que com ela o Governo d presidente colombiano, Álvaro Uribe, quer justificar o ataque em território equatoriano de março.

Tudo o que sabemos sobre:
Farcs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.