Aeronáutica hondurenha diz que Zelaya vai para El Salvador

Aeronave foi desviada ante a negativa do governo interino de Honduras para aterrissagem em Tegucigalpa

Efe,

05 de julho de 2009 | 16h38

O diretor da Aeronáutica Civil de Honduras, Alfredo San Martín, assegurou neste domingo, 5, que o avião que transporta de Washington o presidente deposto de Honduras Manuel Zelaya aterrissará em El Salvador porque não tem autorização para pousar em território hondurenho. A aeronave com Zelaya, porém, já partiu dos Estados Unidos. "O avião parte para Tegucigalpa neste mesmo minuto", disse o chanceler venezuelano Nicolás Maduro às 16h10 (Brasília) por telefone à emissora Telesur.

 

Veja também:

linkNicarágua move tropas na fronteira, diz governo de Honduras

mais imagens Galeria com imagens de protestos em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

som Podcast: De Honduras, Gustavo Chacra comenta expectativas para volta de Zelaya

som Podcast: Representante da OEA analisa atual situação em Honduras

som Podcast: Professor da Unesp analisa Golpe de Estado em Honduras

som Podcast: Especialista teme que países sigam o exemplo

linkPerfil: Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA  

 

San Martín afirmou à imprensa que, ante a negativa das autoridades hondurenhas, a aeronave "foi desviada para El Salvador e não vai aterrissar em Tegucigalpa". O chanceler hondurenho, Enrique Ortez, disse que o governo interino não permitirá a aterrissagem do avião de Zelaya, entre outros motivos, por "prudência". Além disso, segundo Ortez, se desconhecem os dados de identificação do avião e seu plano de voo, indispensáveis para autorizar a aterrissagem.

O diretor de Aeronáutica Civil ratificou que "nenhum aeroporto do país vai permitir que aterrisse uma aeronave que não faça o trâmite correspondente com a antecipação devida". San Martín explicou que, fora as aeronaves comerciais, todo avião que solicite permissão para aterrissar em Honduras deve fazê-lo "com adiantamento".

 

Durante a viagem, Zelaya ordenou aos militares a abertura do aeroporto da capital do país. "O presidente constitucional está viajando neste avião", disse ele em entrevista a emissora Telesur, fazendo um pedido de diálogo e reconciliação ao Estado Maior e às Forças Armadas. "Em algumas horas estaremos chegando a Honduras", disse Zelaya, chamando "todos os hondurenhos ao diálogo [...] para que deponham todo ato de violência". "Todos somos parte de um mesmo povo, de uma mesma nação", falou antes de afirmar que seu retorno é "pacifico". "Tratemos de manter a calma", disse o presidente deposto, convidando à população a "caminhar até o aeroporto" e falar "com os policiais e soldados".

 

Questionado sobre a proibição das autoridades hondurenhas para a aterrissagem de seu avião em Tegucigalpa, Zelaya disse que se trata de "um governo de proveito e todas as ações desse governo de proveito são nulas". Sobre a possibilidade de a aeronave pousar em outro aeroporto, ele falou que, se necessário, há "outras opções".

 

Segundo Zelaya, duas comissões partiram de Washington. A primeira, liderada por ele e composta também pelo presidente da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, Miguel D'Escoto, viajaria a Tegucigalpa. A segunda, liderada pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, José Miguel Insulza, viajará diretamente para San Salvador, capital de El Salvador, e tem como integrantes a presidente da Argentina, Cristina Fernández, o presidente do Equador, Rafael Correa, e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

 

Correa afirmou, durante uma entrevista coletiva concedida na embaixada do Equador em Washington, ser mais prudente que Zelaya fosse acompanhado apenas por D'escoto na viagem a Honduras. Ele acrescentou que a comitiva com destino a San Salvador aguardará uma confirmação de que Zelaya poderá aterrissar.

 

Atualizado às 17h35

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasgolpe de EstadoManuel Zelaya

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.