Aeroportos reabrem na Argentina após interrupção por vulcão

Comapnhias aéreas normalizam atividades aos poucos; terminais no sul permanecem fechados

Reuters

10 de junho de 2011 | 21h12

Painel mostrava voos cancelados na tarde desta sexta

 

BUENOS AIRES - A Argentina reabriu nesta sexta-feira, 10, os dois principais aeroportos do país, fechados temporariamente desde segunda-feira por uma nuvem de cinzas vulcânicas, e os voos serão normalizados completamente se mantidas as atuais condições climáticas, informou a Agência Nacional de Aviação Civil local.

Desde sábado, quando entrou em erupção um complexo vulcânico no sul do Chile que expeliu grande quantidade de rochas e cinzas sobre cidades na Cordilheira dos Andes, há atrasos e cancelamentos de voos de e para a Argentina.

"Os aeroportos internacionais de Ezeiza e Jorge Newberry estão abertos e em condições de reiniciar as operações gradualmente, depois se realizadas tarefas de manutenção e limpeza de cinzas", afirmou a Anac argentina em comunicado.

A Anac afirmou que a nuvem de cinzas vulcânicas expelida pelo vulcão chileno Puyehue-Cordón Caulle "diminuiu o seu conteúdo e reduziu o impacto devido à rotação do vento para sudoeste e como consequência de chuvas na área de influência do vulcão."

Algumas companhias aéreas começaram a restabelecer seus voos lentamente, e está previsto que a atividade seja praticamente normalizada durante o fim de semana.

A chilena LAN informou em comunicado que os voos de e para Buenos Aires foram retomados a partir da tarde de sexta-feira e que no sábado os voos irão operar normalmente. A Gol e a TAM anunciaram que retomaram as frequências para os dois aeroportos da capital argentina.

Mas a Anac informou que os aeroportos de Neuquén, Bariloche e Chapelco, na região patagônica e perto da área onde está o vulcão, continuarão fechados e que as operações na zona continuarão com restrições.

No Uruguai, as companhias deverão voltar a operar em breve. "Neste momento os voos seguem cancelados, mas há empresas que com base nos boletins meteorológicos favoráveis mostraram sua intenção de voar para cá nas próximas horas", disse Paulo Martinez, chefe da base de operações do Aeroporto Carrasco, da capital uruguaia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.