Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Ahmadinejad acusa Rússia de fazer parte de campanha anti-Irã

Críticas foram feitas após Medvedev pedir explicações ao Irã sobre programa nuclear do país

AP,

23 de julho de 2010 | 17h45

TEERÃ- O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, acusou nesta sexta-feira, 23, a Rússia de se voltar contra Teerã e se juntar aos Estados Unidos ao "espalhar mentiras" sobre o programa nuclear iraniano, em um último sinal de que o Irã está se afastando de um anterior aliado.

 

Veja também:

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

 

Ahmadinejad disse que Dmitri Medvedev fez parte de "uma propaganda dramatizada" dirigida por Washington por ter afirmado na semana passada que a República Islâmica está mais perto de ser uma nação desenvolvedora de armas nucleares.

 

O líder iraniano tem sido duro com Moscou desde que ficou aparente que a Rússia apoiaria as novas sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU contra Teerã no mês passado, pela recusa do país em deter partes de seu programa nuclear. No passado, o Irã dependeu dos então aliados China e Rússia - e de seu poder de veto no CS - para bloquear tais penalidades.

 

"A Rússia é uma grande nação e nós estamos interessados em continuar a amizade entre os dois países, mas as suas declarações (de Medvedev) são parte de uma propaganda dramatizada dirigida pelos EUA contra a nação iraniana", afirmou Ahmadinejad em um discurso divulgado em seu site nesta sexta. "Na verdade, a Rússia acabou de começar seu papel neste drama", acusou.

 

A Rússia tem uma posição ambígua no impasse com o Irã, em parte porque o país não quer colocar em perigo anos de laços políticos e comerciais com a República Islâmica. No entanto, Moscou têm demonstrado uma crescente frustração com Teerã nos últimos meses, e inclusive apoiou a quarta rodada de sanções ao país.

 

Medvedev afirmou na semana passada que embora o Irã seja "um parceiro confiável e ativo nos negócios (...), isso não significa que nós não nos preocupamos com o desenvolvimento de seu programa nuclear e como são seus componentes militares. A respeito desse assunto, esperamos explicações do Irã".

 

Ele também pediu ao país que cooperasse com a comunidade internacional a respeito de seu programa atômico. As potências ocidentais acreditam que o programa nuclear iraniano tem o objetivo de construir armas nucleares, o que Teerã nega.

 

A Rússia tem uma série de contratos energéticos e bélicos com o Irã, incluindo um arsenal de sofisticados mísseis de defesa S-300. O acordo foi firmado em 2007, gerando críticas do Ocidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.