Arquivo/AE
Arquivo/AE

Alberto Fujimori é operado em Lima e passa bem, diz filho

Condenado a 25 anos de prisão por violar direitos humanos, ex-presidente foi levado terça-feira para hospital

Efe,

17 de fevereiro de 2010 | 16h30

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori (1990-2000) foi operado hoje para a retirada de duas pequenas úlceras da língua, informou seu filho mais novo, Kenji.

 

Em entrevista coletiva, o mais novo dos Fujimori disse que a extirpação transcorreu "sem complicações" e que agora o país permanecerá em observação médica "para evitar que as úlceras ressurjam".

 

"Foram duas úlceras de 4 milímetros", afirmou Kenji, segundo quem os médicos decidiram extirpar uma porção maior que a prevista "para reduzir os riscos" de o problema voltar.

 

O filho de Fujimori acrescentou que, inicialmente, o ex-presidente peruano ficará internado até quinta-feira, mas "tudo dependerá do processo de recuperação".

 

"Ele está bem disposto, perfeitamente tranquilo, sereno, não há outras complicações... A operação durou 40 minutos. Agora, ele está se convalescendo. Estive em contato com o médico, que disse que a operação foi um sucesso", destacou.

 

Ao explicar a cirurgia, Kenji disse que, durante o pós-operatório, o pai, condenado a 25 anos de prisão por violações dos direitos humanos, precisa ficar "em observação permanente".

 

Fujimori foi levado terça-feira da cela que ocupa na Direção Nacional de Operações Especiais (Diroes) para o Instituto Nacional de Doenças Neoplásicas (INEN), em Lima.

 

Em 27 de janeiro, ele já tinha se submetido a um exame médico no INEN para avaliar se teria que ser operado de duas lesões pré-cancerosas que tem na parte posterior da língua.

 

No entanto, naquela vez, os médicos decidiram não operar devido aos problemas de coagulação que Fujimori apresentava.

Tudo o que sabemos sobre:
PeruFujimori

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.