'Alfonso Cano', o provável novo líder das Farc

Segundo o governo colombiano, antropólogo de quase 60 anos deve substituir 'Tirofijo' como chefe da guerrilha

Efe,

25 de maio de 2008 | 16h39

"Alfonso Cano", cujo verdadeiro nome é Guillermo León Sáenz, um antropólogo colombiano quase sexagenário, provavelmente será o novo chefe máximo da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), informaram fontes militares. Veja também:Farc confirmam morte de líder e fundador Manuel MarulandaPor dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região   Um comunicado do Ministério da Defesa, que confirmou a morte de Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo", no dia 26 de março em circunstâncias que ainda estão por ser confirmadas, indicou que a guerrilha designou como sucessor "Alfonso Cano." A morte de "Tirofijo", à qual se soma a do porta-voz oficial e número dois das Farc "Raúl Reyes", abatido no dia 1º de março em um bombardeio de tropas colombianas em território equatoriano, impulsionou a ascensão de "Cano." Segundo os analistas, "Cano", com 31 anos de militância nas Farc, é considerado um dos ideólogos dessa organização armada de esquerda e chegou a essa guerrilha camponesa vindo de Bogotá. "Cano" nasceu no dia 22 de julho de 1948 em Bogotá, estudou Antropologia na Universidade Nacional da capital colombiana e atualmente é o chefe político do Bloco Ocidental e membro do Secretariado (chefia máxima) das Farc. Antes de ingressar nas fileiras da guerrilha, pertenceu ao Partido Comunista Colombiano e foi seu "comissário político". Desde o ano 2000, é o responsável pelo Movimento Bolivariano da Nova Colômbia, um projeto político da principal guerrilha colombiana. "Alfonso Cano", de barba muito espessa e óculos redondos, tem 47 ordens de captura e uma "circular vermelha" da Organização Internacional da Polícia Criminal (Interpol) sob acusações de rebelião, terrorismo, homicídio e seqüestro. Representou as Farc nos diálogos frustrados com o Governo do presidente César Gaviria (1990-1994) em Caracas e na localidade mexicana de Tlaxcala, em 1991 e 1992. Outros chefes das Farc na linha de comando são Luciano Marín Arango, conhecido como "Ivan Márquez"; Jorge Briceño Suárez, conhecido como "Mono (Macaco) Jojoy"; Rodrigo León Londoño ou "Timochenko"; e Milton de Jesús Toncel Redondo, conhecido como "Joaquín Gómez." Esta semana, as autoridades militares informaram que "Cano" estaria "cercado" em uma zona limítrofe entre o sul e o centro oeste do país.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.