Alto comissário para a Paz da Colômbia renuncia, diz imprensa

Restrepo deixa o cargo após ter sido desautorizado em decisão de impedir imprensa na libertação de refém

Efe,

04 de fevereiro de 2009 | 03h23

O alto comissário para a Paz do governo colombiano, Luis Carlos Restrepo, renunciou nesta terça-feira, 3, ao cargo após ter sido desautorizado em sua decisão de impedir à imprensa o acesso ao aeroporto onde desembarcou o agora ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Alan Jara. Veja também:Cruz Vermelha diz à Colômbia local de entrega de novo refémAlan Jara acusa Uribe de não fazer nada por reféns das FarcFarc prometem libertação de seus últimos reféns políticosCronologia dos sequestrados das Farc Por dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região  Jornalistas analisam participação do Brasil  Segundo a imprensa de Bogotá, Restrepo renunciou pouco após retornar de Villavicencio, cidade do centro colombiano onde coordenava a parte oficial das missões em que os rebeldes entregaram cinco sequestrados. Procurado pela Agência Efe, um porta-voz do governo disse desconhecer a decisão de Restrepo de renunciar ao cargo que ocupa desde agosto de 2002, quando Álvaro Uribe assumiu a Presidência. Restrepo "apresentou sua renúncia perante o presidente Álvaro Uribe", assegura o site da revista "Semana", que não cita as fontes de sua informação. A publicação diz que o alto comissário governamental para a Paz tomou a decisão após um problema com o secretário de Imprensa do Governo, César Mauricio Velásquez, e com o assessor de Comunicação do Executivo, Jorge Mario Eastman. Velásquez e Eastman, segundo a "Semana", criticaram Restrepo por ter tentado impedir a cobertura jornalística no desembarque de Jara no aeroporto de Villavicencio. A decisão de Restrepo gerou forte polêmica junto à imprensa colombiana, que qualificou a medida como censura. O debate levou o governo a desautorizar Restrepo, que imediatamente retornou a Bogotá. Segundo a edição eletrônica do jornal colombiano "El Espectador", a decisão de Restrepo sobre a imprensa não agradou também a Uribe, que "pediu que essa medida fosse invalidada".

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.