Ameaça de nacionalização de Chávez derruba ações na Colômbia

A ameaça feita pelo presidente daVenezuela, Hugo Chávez, de nacionalizar as empresas colombianasteve forte impacto nas ações da Bolsa da Colômbia,especialmente nas das empresas do setor alimentício, disseramcorretores. Após as primeiras horas de operações, o Índice Geral daBolsa da Colômbia caía cerca 1 por cento, pressionado pelospapéis da empresa Nacional de Chocolates, que sofriam baixa decerca de 4 por cento. Na quarta-feira, Chávez levantou a possibilidade denacionalizar algumas das empresas colombianas que operam naVenezuela, em meio a uma crise diplomática desencadeada pelaincursão militar da Colômbia no Equador para matar um líder daguerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Um porta-voz da Associação Nacional das Empresas daColômbia (Andi) disse que o presidente da entidade, Luis CarlosVillegas, não se pronunciará no momento sobre a questão porquepretende recolher mais informações sobre as medidas que aVenezuela estaria preparando. A Andi também não fornecerá por ora uma estimativa dosinvestimentos colombianos no país vizinho. "As preocupações voltaram", disse a analista MarcelaGiraldo, da Corretores Associados, ao referir-se às declaraçõesde Chávez. O presidente venezuelano garantiu que reduzirá ointercâmbio comercial com a Colômbia, o qual alcançou em 2007 acifra recorde de 6 bilhões de dólares. "Com esta nova notícia, a empresa mais exposta é a Nacionalde Chocolates." Outras ações de companhias colombianas com investimentos naVenezuela também baixaram. Os papéis da Inversiones Argos caíam1 por cento, para 9.390 pesos. Os da Almacenes Exito -- a maiorrede varejista da Colômbia, controlada pela francesa Casino ecom investimentos no país vizinho -- retrocediam 0,7 por cento,para 14.000 pesos. (Reportagem de Javier Mozzo Peña)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.