Amorim viaja ao Peru no domingo e se reúne com Alan Garcia

Ministro das Relações Exteriores vai se encontrar com o presidente e o chanceler peruano

Agência Brasil e Efe,

18 de agosto de 2007 | 17h10

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, viaja para Lima no domingo, 19, onde participa de reuniões bilaterais com o presidente peruano Alan Garcia e com o chanceler José Antonio García Belaúnde. A visita acontece depois do terremoto de quarta-feira, 15, que alcançou 7,5 pontos na escala Richter, deixou mais de 500 mortos e 1,5 mil feridos.   Veja também:  Câmeras flagram momento do abalo  Vítimas do terremoto são veladas nas ruas Ajuda internacional começa a chegar à costa peruana Situação é crítica em povoados peruanos sem ajuda Helicóptero com ajuda humanitária cai e fere 7 Tremor de 5,5 graus gera alarme entre vítimas Os piores terremotos na América Latina  Galeria de fotos do desastre    Cerca de 17 mil casas foram destruídas e mais de 85 mil pessoas necessitam de algum tipo de ajuda, principalmente na cidade de Pisco, a mais atingida pelo terremoto. No encontro, serão assinados projetos de cooperação técnica nas áreas de saúde e de desenvolvimento social. De acordo com o ministério, desde janeiro de 2006 um acordo de comércio bilateral gerou cerca de US$ 2,3 bilhões.   Celso Amorim também se encontra com o secretário-geral da Comunidade Andina de Nações (CAN), Freddy Ehlers, e participa da abertura da II Reunião do Foro sobre a Iniciativa da Bacia do Pacífico Latino-americano. Por ter sido marcada antes do terremoto que atingiu o país, o Itamaraty informou que, a princípio, a visita do ministro não incluirá visita às cidades atingidas pelos tremores.   Ajuda humanitária   O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ordenou o aumento da ajuda humanitária ao país vizinho. Neste sábado, três aviões Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), com 46 toneladas de alimentos, se deslocaram a Pisco, cidade mais afetada pelo terremoto, e que ficou praticamente destruída. Nos aviões viajaram três médicos legistas, três dentistas legistas, três especialistas em testes de comparação genética e dois papiloscopistas, que ajudarão nos trabalhos de identificação de cadáveres. Na terça-feira, aterrissará em Pisco uma quarta aeronave da FAB com um hospital clínico móvel e remédios básicos para atender cerca de 35 mil pessoas durante um mês.

Tudo o que sabemos sobre:
PeruRelações Exterioresterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.