IFCO/Reprodução
IFCO/Reprodução

Ao completar 83 anos, Fidel Castro reflete sobre a crise

Em foto tirada "recentemente" para sua exposição, líder cubano parece "saudável e em forma"

Reuters

13 de agosto de 2009 | 11h11

O líder cubano Fidel Castro comemorou nesta quinta-feira, 13, seu aniversário de 83 anos com uma sombria advertência sobre a crise econômica mundial e a promessa de "seguir adiante". Em um texto publicado pelo jornal cubano Granma, Fidel apresenta aos cubanos um obscuro panorama sobre a crise que atinge o mundo e a ilha que governou durante quase meio século.

 

"Alguns falam que a crise econômica é o fim do imperialismo; talvez deve ser questionada se não significa algo pior para nossa espécie", escreveu. "Na minha opinião, o melhor sempre será ter uma causa justa a defender e a esperança de seguir adiante", acrescentou.

 

Fidel está afastado do poder e da vida pública desde que ficou doente e esteve à beira da morte há três anos. Uma fotografia divulgada na quarta-feira pelo grupo religioso norte-americano Pastors for Peace em seu site, entretanto, mostra o líder cubano aparece de pé e em boa forma.

 

Apesar de ter sido substituído no ano passado na presidência pelo seu irmão mais novo Raúl, Fidel Castro se manteve politicamente ativo por meio de artigos como o publicado nesta quinta-feira no jornal. Sua influência política é, no entanto, enorme e Raúl consulta o irmão quando toma as principais decisões de Estado.

 

O aniversário do comandante não é festejado em Cuba, mas será comemorado com uma rumba e os meninos da organização comunista Pioneros lhe dedicarão um enorme bolo.

 

Exposição

 

Na quarta-feira, véspera do aniversário de Fidel, foi inaugurada uma exposição com fotografias do líder cubano em comemoração aos seus 83 anos. Um dos destaques é a foto central, que mostra o cubano em uma imagem "muito recente" tirada por seu filho, Alex Castro, na qual aparece "saudável em em boa forma".

 

"É uma oportunidade que não se dá a todo mundo. E minha vida me deu a oportunidade de fazer a foto e, inclusive, digo que tenho vantagem porque pude fazê-la de perto", disse o filho de Fidel a jornalistas sobre a atração central da mostra "83 motivos".

 

A exposição começa com a visita de Fidel a Nova York em 1955 e termina com a foto tirada por seu filho. Algumas mostram o líder com personalidades como o Papa João Paulo II (1998), com o presidente venezuelano Hugo Chávez (2007), com Ernesto "Che" Guevara, seu parceiro na Revolução Cubana (1959) e outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.