Juan Karita/ AP
Juan Karita/ AP

Ao votar, Evo Morales evita cantar vitória em eleição na Bolívia

No poder desde 2006, presidente de origem indígena é amplo favorito a garantir uma reeleição histórica

Reuters,

06 de dezembro de 2009 | 13h42

O presidente da Bolívia de origem indígena, Evo Morales, conclamou o povo do país a votar nas eleições deste domingo, 6, mas preferiu não cantar vitória, apesar de ser amplo favorito a garantir uma reeleição histórica.

 

Veja também:

linkEvo consolida 'refundação boliviana'

 

Em declarações a jornalistas ao votar no povoado Villa 14 de Septiembre, no departamento central de Cochabamba, o governante esquerdista disse estar "nas mãos do povo boliviano". "Não me sinto vencedor. Cada candidato tem seu otimismo", afirmou Evo, que pode se tornar o primeiro presidente reeleito da Bolívia em 45 anos.

 

Evo disse, contudo, que os bolivianos que forem às urnas decidirão se estão "com a mudança" ou se voltam ao neoliberalismo, que, destacou, não trouxe nenhum benefício ao país. "O povo hoje tem direito a decidir conscientemente se continua se aprofundando na democracia ou se retorna ao neoliberalismo, se está com a mudança ou se está com o neoliberalismo. É isso que o povo boliviano decidirá com seu voto", disse Morales à imprensa.

As eleições, em que mais de cinco milhões de bolivianos irão escolher também o vice-presidente e outros representantes, acontecem dentro da nova Constituição plurinacional e socialista aprovada no começo deste ano.

"Hoje é um dia histórico, um dia de singular importância... É inédito para os bolivianos, porque é a primeira vez que participamos de uma eleição com base em uma nova Constituição política aprovada pelo voto popular", afirmou Evo.

Primeiro presidente indígena da Bolívia, Evo está no poder desde o início de 2006. Ele busca garantir um mandato de mais cinco anos para continuar com sua política de estatização da economia que tem permitido acelerar o crescimento.

"Às 10, 11 da noite (horário local), darei uma mensagem do palácio (do governo). Se formos perdedores, reconhecendo o ganhador. Se formos ganhadores, expressando nosso respeito e agradecimento ao povo boliviano", disse Evo.

 

(com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaEvo Moraleseleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.