Apenas cinco de cada cem argentinos votariam em Kirchner

Pesquisa mostra imagem de Néstor Kirchner em frangalhos após derrota nas eleições parlamentares de junho

Ariel Palácios, de O Estado de S. Paulo,

10 de setembro de 2009 | 10h43

Se as eleições presidenciais fossem realizadas hoje na Argentina somente 5,6% dos eleitores votariam em Néstor Kirchner, segundo indica uma pesquisa elaborada pela consultoria Management & Fit.

 

O ex-presidente, considerado o verdadeiro poder no governo de sua esposa, a presidente Cristina Kirchner, está com a imagem em frangalhos após a derrota nas eleições parlamentares de junho, quando perdeu para o empresário Francisco De Narvaéz, novato na política.

 

A imagem de Kirchner também está sendo duramente atingida pelos problemas econômicos do governo, além dos escândalos de corrupção e as acusações de enriquecimento ilícito. A má imagem assola ambos integrantes do casal Kirchner. Segundo a pesquisa, 71% dos entrevistados "desaprovam" a gestão da presidente Cristina.

 

A Mangement & Fit também indicou que o eventual primeiro colocado nas urnas em caso de eleição seria Julio Cobos, atual vice-presidente da República (que adquiriu popularidade no ano passado, quando rebelou-se contra a presidente Cristina e voltou às fileiras da oposição).

 

Cobos, segundo a pesquisa, teria 21% dos votos. A pesquisa também afirma que o polêmico projeto de Lei de Radiodifusão que o governo pretende aprovar em breve no Parlamento é mal visto pela maioria dos entrevistados. Do total de pesquisados, 61% consideram que a lei não passa de uma manobra da presidente Cristina para controlar os meios de comunicação.

Tudo o que sabemos sobre:
KirchnerpesquisaeleiçõesArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.