Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Apoio a Morales sobe para 62% entre população em outubro

Aumento ocorreu no mês em que foi consolidado o acordo para convocar o plebiscito constitucional

EFE

29 de novembro de 2008 | 16h03

O apoio ao presidente da Bolívia, Evo Morales, subiu sete pontos no último mês, até 62%, segundo uma pesquisa publicada neste sábado, 29, pelo jornal "La Razón", de La Paz.   A aprovação do presidente Morales subiu de 55% para 62%, enquanto a do vice-presidente, Álvaro García Linera, aumentou de 51% até 56%, segundo a última pesquisa elaborada pela empresa Ipsos Apoyo, Opinión y Mercado.   A pesquisa, realizada nas quatro cidades mais povoadas da Bolívia na semana passada, foi feita com 1.021 pessoas de idades entre 18 e 70 anos.   Os resultados refletem que a aprovação popular de Morales em novembro subiu sete pontos percentuais frente a outubro, mês em que foi consolidado o acordo para convocar o plebiscito constitucional que será realizado em 25 de janeiro.   O projeto de Constituição que será votado foi acordado entre o Governo e a oposição no Congresso em meados de outubro passado. Foram introduzidas mais de 100 emendas à proposta apresentada originalmente pela Assembléia Constituinte.   Além disso, 59% dos entrevistados aprovam a gestão do Governo, o que representa o maior percentual registrado neste ano.   O apoio ao líder indígena cresceu em todas as cidades: Cochabamba, onde aumentou em seis pontos, até 63%; La Paz, onde foi respaldado por 81% dos entrevistados, dois pontos a mais que em outubro; e em El Alto cresceu um ponto, para 92% de aprovação.   No caso de Santa Cruz, leste do país e reduto autonomista e opositor ao Governo, o líder obteve respaldo de 33%, o que significa 12 pontos a mais dos recebidos um mês antes.

Tudo o que sabemos sobre:
apoioEvo Morales

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.