Após fim das sanções, sete opositores são presos em Cuba

Detenções acontecem depois da UE por fim às restrições impostas em 2003 devido à captura de 75 opositores

Efe,

20 de junho de 2008 | 19h03

Sete opositores foram detidos nesta sexta-feira, 20, em Cuba, informaram em Havana fontes da dissidência, depois da União Européia (UE) anunciar o fim das sanções contra a ilha. Os opositores, entre eles Jorge Luis García Pérez, conhecido como "Antúnez", foram presos quando protestavam diante de uma dependência do Ministério do Interior na cidade de Matanzas, no norte de Cuba, disse à Agência Efe a dissidente Marta Beatriz Roque. Veja também:Cuba diz que fim das sanções da UE é 'passo na direção certa' "Eles estavam fazendo um protesto pela série de golpes que foram dados no irmão de Iris (Pérez, esposa de "Antúnez") na prisão de Agüica" (Matanzas), explicou Roque, líder de um grupo de defesa dos direitos civis. "Até agora não soubemos mais nada deles", disse a dissidente. Segundo Roque, "Antunez" estava acompanhado por sua esposa, Iris Pérez, Idania Yanes, Yesmielena Surbano, Benito Ortega, Nitza Echavarría e Blas Fortún. "Antúnez", de 42 anos, foi libertado em abril de 2007 após cumprir uma condenação de 17 anos e 38 dias acusado de "propaganda inimiga", tentativa de sabotagem e delitos políticos. As detenções acontecem menos de 24 horas depois da UE por fim às sanções diplomáticas impostas em 2003 contra o regime cubano, devido à captura de 75 opositores condenados a penas de até 28 anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
Cuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.