Após prisão, líder da coalizão de Álvaro Uribe renuncia

Senador colombiano Carlos García Orjuela está sendo investigado por ligações com chefes paramilitares

Efe,

28 de julho de 2008 | 17h34

O senador colombiano Carlos García Orjuela, líder da coalizão política do presidente Álvaro Uribe e preso sob suspeita de laços com chefes paramilitares, renunciou, informaram nesta segunda-feira, 28, fontes parlamentares.   Veja também: Líder da coalizão política de Uribe é preso na Colômbia   O presidente do Congresso, Hernán Andrade, confirmou ter recebido a petição de afastamento de García, mas assinalou que o Senado irá se reunir para decidir se aceita a demissão. O senador foi detido na sexta-feira em Santa Marta, ao norte do país, por agentes da Fiscalização, com um pedido da Suprema Corte de Justiça.   O líder do Partido de Unidade Nacional passou nesta segunda pela primeira sessão de interrogatório diante dos magistrados na Sala Penal do Alto Tribunal de Bogotá.   García, que também foi presidente do Congresso colombiano, deverá explicar as suspeitas de ligações com chefes das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC, da extrema-direita armada), do Departamento de Tolima.   Cerca de 68 congressistas colombianos estão vinculados com o chamado escândalo da "parapolítica", que revelou laços entre parlamentares e funcionários do governo com líderes paramilitares, dentre os quais 30 estão presos.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaUribeparamilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.