Após recuperar corpos de ex-deputados, Colômbia retoma operações militares

Corpos foram levados no domingo a Cali, após serem recuperados em uma área montanhosa do departamento de Nariño

Efe,

10 de setembro de 2007 | 01h24

O governo colombiano anunciou no domingo, 9, a imediata retomada das operações militares que estavam suspensas em uma zona do sudoeste do país. As atividades foram paralisadas para permitir a recuperação dos corpos de onze ex-deputados seqüestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e mortos em cativeiro. A informação foi divulgada em comunicado pelo ministro da Defesa Nacional da Colômbia, Juan Manuel Santos, que acrescenta que "foram mais de cinco anos e quatro meses de dor e angústia para os parentes" dos ex-deputados. As operações militares serão retomadas a "partir deste momento" na região do departamento de Nariño, fronteiriço com o Equador, onde estavam os corpos que podem ser dos ex-legisladores. Por ordem do governo colombiano, as operações militares foram suspensas desde o fim da semana passada para permitir que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) fosse ao local, indicado pelas Farc como ponto de localização dos corpos dos onze ex-deputados regionais. Os corpos foram levados no domingo a Cali, após serem recuperados em uma área montanhosa do departamento de Nariño por uma comissão do CICV, que chegou ao local com instruções das Farc. Os doze deputados da Assembléia Departamental do Valle del Cauca foram seqüestrados no dia 11 de abril de 2002. Em 28 de junho, a guerrilha informou em comunicado a morte de 11 deles durante "um fogo cruzado" com um grupo armado não identificado. O governo colombiano reiterou várias vezes que os deputados foram, na verdade, assassinados pelas Farc.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiaex-deputados mortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.