Após ter asilo negado, primo de Uribe é preso na Colômbia

Ex-senador Mario Uribe, colaborador e primo do presidente colombiano, é detido por ligações com paramilitares

Agências internacionais,

22 de abril de 2008 | 22h57

O ex-senador Mario Uribe, colaborador e primo do presidente colombiano Álvaro Uribe, foi preso na noite desta terça-feira, 22, ao sair da embaixada da Costa Rica em Bogotá. O detenção foi feita por agentes da Fiscalização Geral, que antes havia determinado a prisão, porém o ex-senador tentava obter asilo político junto à embaixada. No início da noite, o governo da Costa Rica negou o pedido do ex-congressista.   Veja também: Uribe se defende no escândalo dos paramilitares na Colômbia Primo de Uribe tem prisão decretada e pede asilo   Mario Uribe Escobar é um dos acusados no escândalo que levou à prisão dezenas de políticos acusados de manter relações com paramilitares. De acordo com a Procuradoria Geral da Colômbia, Mario está sendo investigado devido a uma reunião que teve com o ex-líder paramilitar Salvatore Mancuso, antes das eleições de 10 de março de 2002, e com Jairo Castillo Peralta, também conhecido como 'Pitirri', em novembro de 1998.   Mancuso alegou que se reuniu várias vezes com o primo de Uribe, que teria pedido apoio para sua campanha ao Senado em 2002. Os paramilitares foram criados por proprietários de terras e traficantes de drogas para combater rebeldes de esquerda e qualquer um suspeito de ser um simpatizante destes grupos.   Em um acordo de paz com o governo, fechado em 2003, os líderes paramilitares se renderam e desmobilizaram 31 mil integrantes em troca de penas de prisão reduzidas e proteção no caso de extradição. Os grupos paramilitares, incluindo as Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), e os rebeldes de esquerda são considerados organizações terroristas pela União Européia e pelos Estados Unidos.   Além de primos de segundo grau, Álvaro e Mario Uribe são parceiros políticos há mais de duas décadas no departamento de Antioquia, no noroeste da Colômbia, onde o atual presidente foi governador e congressista. Os dois fundaram o partido Colômbia Democrática, ao qual Mario Uribe Escobar segue pertencendo.  

Tudo o que sabemos sobre:
UribeColômbiaparamilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.