Argentina liberta militares acusados de abusos na ditadura

Decisão que favoreceu oficiais da marinha do país se baseou no tempo de prisão sem sentença da Justiça

AP

18 de dezembro de 2008 | 18h25

A Câmara Nacional de Cassação Penal argentina concedeu a liberdade a dois ex-militares processados por crimes contra a humanidade. Os oficiais da marinha Alfredo Astiz e Jorge Acosta teriam participado de tortura durante a ditadura militar (1976-1983). "A decisão se baseou no tempo de prisão sem sentença da Justiça", informou a agência estatal Telam.Acosta e Atiz estavam detidos por sua atuação na Escola de Mecânica, por onde passou mais de 5 mil dissidentes. Segundo o governo e organismos de direitos humanos, metade deles morreu.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaditadura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.