Argentina pede prisão de venezuelano da mala com dólares

Um promotor argentino está pedindoa emissão de uma ordem internacional de prisão para ovenezuelano que entrou na Argentina com uma mala com quase 800mil dólares não declarados, num jatinho que levava autoridadesargentinas e venezuelanas. O incidente deflagrou uma nova onda de acusações decorrupção contra o governo do presidente da Argentina, NéstorKirchner, cuja mulher concorre em outubro à Presidência. O promotor pediu a um juiz federal na terça-feira a ordemde prisão contra o executivo Guido Antonini, que tem passaportevenezuelano e norte-americano, depois que a alfândega de BuenosAires encontrou o dinheiro em sua mala, no dia 3 de agosto. Ele chegara à capital a bordo de um jatinho fretado pelaestatal argentina Enarsa, dois dias antes de uma visita dopresidente Hugo Chávez à Argentina. Ainda não se sabe para queserviria o dinheiro, mas autoridades judiciais disseram estarinvestigando possíveis ligações entre Antonini e os governosargentino e venezuelano. Antonini viajava com executivos da Enarsa e trêsfuncionários da petrolífera estatal venezuelana PDVSA. Depois da apreensão, ele deixou a Argentina, e não se sabeseu paradeiro. Na semana passada, Kirchner demitiu o funcionário quepermitiu o embarque de Antonini no jatinho, e assessores delepressionaram para que Chávez pedisse desculpas pelo incidente,já que segundo eles Antonini embarcou a pedido de um executivoda PDVSA. Mas os ministros de Chávez insistem que Antonini não temligações com o governo, e alegam que o caso faz parte de umaconspiração tramada pelos Estados Unidos. A ministra da economia de Kirchner foi obrigada a renunciarno mês passado porque a polícia encontrou mais de 60 mildólares escondidos no banheiro de seu gabinete.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.