Argentina pode antecipar eleição para evitar desgate com crise

Governistas querem evitar desgate político com a piora da economia no país até o pleito legislativo

Marina Guimarães, Agência Estado

13 de março de 2009 | 12h07

O governo da Argentina pretende antecipar as eleições legislativas em todo o país de 28 de outubro para 28 de junho, segundo informações da imprensa argentina. O anúncio será feito pelo ministro do Interior, Florencio Randazzo, como afirmou o canal de televisão local TN (Todo Notícias). A manobra teria sido idealizada pelo ex-presidente Néstor Kirchner, atual presidente do Partido Justicialista (PJ), para evitar o desgaste político que surgiria com a piora da economia até outubro.

 

Todos os analistas políticos da Argentina afirmam que a presidente Cristina Kirchner e o movimento político ligado a ela e seu marido, o "kircherismo", sofrem sério risco de perder a maioria na Câmara e no Senado nas eleições previstas, até então, para outubro. Esse desgaste começou com o conflito com o setor rural, em março do ano passado, e pode se aprofundar ainda mais porque os produtores rurais voltaram aos protestos nas estradas e rodovias

 

A crise econômica internacional, que também afeta a economia interna, completaria o coquetel de desgaste do kirchnerismo. Por isso a ideia de antecipar as eleições e tentar evitar uma amarga derrota, como ocorreu nas eleições legislativas do último domingo na província de Catamarca.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.